Recorde de processos de M&A aumentam contratações de líderes segundo a United HR

São Paulo SP 5/11/2021 – Os requisitos procurados pelos headhunters na United HR, para preencher estas posições de liderança, são de acompanhar a realização de valuation e due diligence

Empresas aumentaram investimentos em projetos de fusões e aquisições. Cargos de lideranças com habilidades no desenvolvimentos das empresas são mais procurados quando empresas passam por M&A. Especialistas em contratação de executivos explicam quais as habilidades mais exigidas, e detalham os principais investimentos.

Os projetos de fusões e aquisições até o mês de outubro de 2021 chegaram a aproximadamente 60% a mais que todo o período de 2020, gerando emprego para líderes que tenham habilidades de due diligence, aponta o relatório da United HR, empresa de executive search e outplacement especializada em contratação de cargos de liderança.

Alisson Soncine, Managing Director da United HR, explica que: “Os requisitos procurados pelos headhunters na United HR, para preencher estas posições de liderança em empresas em processos de M&A são de acompanhar a realização de valuation e due diligence, capacidade de analisar o mercado econômico, e que garanta consistência das informações sobre a empresa e o seu ativo, identificando viabilidade econômica para concretizar os negócios nos processos de fusões e aquisições”.

“O investimento privado está em todos os setores, e os dados analisados concluem que mesmo com as questões políticas e econômicas do país, para 2022 as empresas já aprovaram investimentos nos processos de fusões e aquisições e contratação de diretores e presidentes preparados para acelerar os investimentos e especializados em Due Diligence”, afirma Alisson Soncine.

Em setembro de 2021 as transações passaram de 1 mil operações, sendo que em todo o período de 2020 não chegaram a 800. Mesmo que este cenário econômico tivesse a influência da pandemia de covid-19 o aumento vem sendo registrado desde os anos anteriores, aponta o relatório.

Estes são exemplos de fusões e aquisições de uma semana de outubro de 2021 levantadas pelos especialistas em inteligência de mercado da United HR:

A Neoenergia fechou acordo para aquisição de fatias da Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil (Previ) nas controladas Coelba, Cosern e Afluente T por 220,4 milhões de reais, informou a Neoenergia.

A Kraft Heinz, anunciou a compra da empresa brasileira de especiarias e temperos BR Spices.

A holding criada pela SK Tarpon e gerida pela Niche Partners já soma 11 aquisições. Com a compra da fintech e-Frete, ela entra no setor financeiro.

O banco digital e plataforma de investimentos Modal Mais adquiriu a casa de análises financeiras Eleven Research.

TradersClub comprou, por R$ 40 milhões, a plataforma de informações financeiras para investidores, a Economatica.

A Já Vendeu, empresa que na venda de produtos usados pela internet, anunciou o fechamento de um aporte de R$ 2,5 milhões com a Verve Capital, fundo dos Estados Unidos, e 6 grupos de investidores-anjo do Brasil: Urca Angels, Poli Angels, Insper Angels, INSEAD Angels Club, Hangar 8 e FEA Angels.

O fundo de private equity da XP entrou no mercado de oftalmologia com a compra do CBV (hospital de olhos referência de Brasília), uma estratégia agressiva de consolidar um dos segmentos da saúde mais pulverizados do Brasil.

Com um valuation de R$ 12 milhões, a startup de Viçosa (MG), Contajá, que tem cerca de mil clientes ativos, e oferece serviços de soluções contábeis, regulatórias e tributárias para micro e pequenas empresas por meio da plataforma desenvolvida pela fintech, levantou R$ 1,2 milhão em apenas 43 horas, em rodada liderada pela CapTable e atraiu 312 investidores.

A Bain Capital está fazendo um investimento de R$ 440 milhões na Bionexo, numa transação que transforma a gestora de private equity no maior acionista da companhia de software para saúde e vai financiar sua estratégia de crescimento, incluindo M&As.

A Hapvida adquiriu, por meio da subsidiária Ultra Som Serviços Médicos, 100% do capital social da empresa Viventi Hospital Asa Sul, em Brasília, por R$ 22 milhões.
EDP (ENBR3) arremata elétrica Celg T por R$1,977 bilhões.

O GPA desiste da bandeira Extra Hiper e faz acordo de até R$ 5,2 bi com Assaí.

A Warren anuncia ao mercado a união com a Vitra Capital, um dos maiores multi-family offices do país, com 12 bilhões de reais em ativos sob gestão.

A Rated Power, uma empresa SaaS que desenvolve soluções baseadas em nuvem para ajudar as empresas a descobrir formas mais inteligentes de maximizar o potencial das usinas solares fotovoltaicas e reduzir o custo de geração da energia, arrecadou R$ 31 milhões em sua série A.

A startup do setor da construção Ambar fechou a compra de outra startup do segmento, a AutoDoc. A operação de R$ 100 milhões tem como pano de fundo o avanço das práticas de industrialização e digitalização dos canteiros de obras, com um número crescente de construtoras procurando ganhar agilidade e cortar custos.

A Promob, especializada em software de projetos para a cadeia de indústria moveleira, anunciou a fusão com a Focco, que atua com software de gestão para diversos setores.

A startup de educação (edtech) Digital House, voltada para desenvolvimento de “talentos digitais”, anunciou sua fusão com a Rocketseat, plataforma de aprendizado em programação.

A Ambipar adquire a Brasil Coleta Gerenciamento de Resíduos.

O Hospital Care Caledonia informou a celebração de contrato por meio do qual irá adquirir até 60% das ações do Hospital Policlínica Cascavel.

A Kora Saúde comprou 80% do Grupo OTO por R$ 248 milhões.

O Bradesco comprou a participação de 49,99% do banco digital Digio que pertencia ao Banco do Brasil por R$ 625 milhões.

A JSL, subsidiária do setor de logística do grupo Simpar, aprovou as cisões parciais da Transportadora Rodomeu e da Unileste Transportes.

Alisson Soncine, Managing Director da United HR explica que os cargos que mais se destacam neste momento de M&A são de Presidente (CEO), Diretor de Finanças (CFO), Diretor de Marketing (CMO), Diretor de operações (COO), Diretor de negócios (CBO), porque a condução de processos de Due Diligence exige que a liderança de todas as áreas de uma empresa participem para o sucesso destes investimentos.

Website: http://unitedhr.co

Comentários

%d blogueiros gostam disto: