Videoconferência se reinventa para atender a novas demandas

Belo Horizonte, MG 12/11/2021 – As empresas agora se preparam para uma nova geração de plataformas digitais, muitas vezes para atender a demandas específicas.

Novidades incluem conteúdo sob medida para cada cliente, navegação simultânea e salas permanentes

O distanciamento social, imposto pela pandemia do Covid-19, fez com que videoconferências, lives e webinars fizessem parte do cotidiano de milhões de pessoas. A empresa Zoom, por exemplo, teve um crescimento de 533% no ano passado, com mais de 330 milhões de usuários por dia. Os usos foram os mais diversos, como reuniões, treinamentos, aulas e até casamentos.

Mesmo com partes do mundo começando a reabrir provisoriamente os espaços presenciais, pesquisa da Sensor Tower mostra que o uso das principais plataformas de videoconferência permanece elevado. Os  dados dessa pesquisa apontam que o número de usuários ativos do Zoom, Microsoft Teams e Google Meet no primeiro semestre de 2021 foi mais de 2,5 vezes maior do que no mesmo período do ano de 2020.

O que continua acelerando a adoção da videoconferência? A resposta é que as mudanças promovidas pela pandemia não foram apenas temporárias. Muitas pessoas e empresas adotaram novas rotinas. Um exemplo é a popularização de modelos híbridos – ou seja, uma mistura do trabalho em home office e no escritório. 75% dos trabalhadores entrevistados em uma pesquisa da Gartner dizem que suas expectativas de trabalhar de forma híbrida aumentaram. 

De acordo com a UpWork, cerca de 22% da força de trabalho nos Estados Unidos, ou mais de 36 milhões de pessoas, vão trabalhar remotamente até 2025. Isso representa um aumento de 87% em relação aos níveis pré-pandemia. Para esse público, a videoconferência será uma atividade cotidiana.

Metaverso e as videoconferências

A Microsoft é uma das empresas que apostam no crescimento do uso corporativo da videoconferência. Para alavancar sua plataforma Teams, ela trouxe o recurso dos avatares, ou representações das pessoas como personagens animados em 3D.

As experiências virtuais, baseadas na plataforma Mesh, serão um recurso do Microsoft Team no próximo ano, segundo o site The Verge. O foco inicial é em trabalho colaborativo e usos para reuniões de trabalho. Com os avatares em 3D da Microsoft, cada participante pode escolher um personagem para representá-lo.

“Não é binário, então posso escolher como quero aparecer, se é um vídeo ou um avatar, e há uma variedade de opções personalizadas para escolher como você deseja estar presente em uma reunião”, diz Katie Kelly, gerente de produto para o Microsoft Mesh, na entrevista ao The Verge. 

A matéria lembra que “O impulso da Microsoft para um metaverso dentro do Teams vem poucos dias depois que o Facebook mudou para Meta como seu nome de empresa”. Além de uma reação ao concorrente, a divulgação do novo recurso é o resultado de anos de trabalho da Microsoft, que tem a plataforma HoloLens de realidade mista e outras iniciativas de mundos digitais.

Crescimento por aquisições na Zoom

A companhia Zoom é a líder em videoconferências, com larga margem sobre a concorrência. De acordo com a KeyBanc Capital Markets, a participação da empresa no mercado foi de 76% no segundo semestre de 2021. 

O desafio, agora, é buscar formas de expansão a partir de mercados e produtos adjacentes, segundo análise da BBC. Para acelerar esse processo, a Zoom vem fazendo fusões e compras de outras empresas de tecnologias. Neste ano ela adquiriu a Five9, um provedor de software de atendimento ao cliente. O negócio tem valor de 14.7 bilhões de dólares.

A Zoom vê a tendência para o trabalho híbrido como um vento favorável para o crescimento. Eric Yuan, CEO do Zoom, afirmou no release sobre a aquisição que “a tendência para uma força de trabalho híbrida se acelerou no ano passado, avançando na mudança dos contact centers para a nuvem e aumentando a demanda dos clientes por experiências personalizadas”.

Outra novidade que pode surgir em breve é a tradução simultânea nas videoconferências. Esse recurso será o resultado da aquisição da empresa alemã Kites pela Zoom. Com reuniões internacionais ou até em países com mais idiomas, a barreira na língua pode ser um problema. A função do sistema é fazer a tradução em tempo real para todos os participantes, usando recursos de machine learning e inteligência artificial.

Videoconferências no processo de vendas

Com a mudança na rotina das pessoas e crescimento das vendas online, alguns setores encontraram a videoconferência como solução para vendas à distância. A incorporadora Riva, uma empresa do Grupo Direcional, adotou a tecnologia como parte do seu processo de atendimento. A solução é utilizada por corretores em quatro estados – Amazonas, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. “Com uso de videoconferência, conseguimos entregar uma experiência muito melhor para ambos os lados – corretores e clientes – já que todo o conteúdo dos empreendimentos está disponível na plataforma. Temos retornos bem positivos dos clientes que são atendidos pela plataforma”, segundo Ubirajara Lucena, instrutor de treinamentos na Riva.

A solução da Riva foi desenvolvida pela startup Aqua Tecnologia. O serviço, que se chama Showroom, tem recursos como salas personalizadas e navegação simultânea entre os participantes para complementar a videoconferência. Segundo Fábio Assis, diretor da Aqua, “as pessoas desejam o atendimento de um consultor, principalmente em vendas mais complexas, mas nem sempre podem ir às lojas físicas. A videoconferência é uma ótima alternativa para aproximar vendedores e compradores à distância.” 

No ano passado, surpreendidas pela explosão de demanda nesse período, as empresas de videoconferência se dedicaram principalmente à estabilidade dos sistemas e a melhorias pontuais de suas plataformas. Agora, com grande parte da população vacinada, há oportunidade para uma nova geração de soluções.

Website: https://www.aqua.com.br/

Comentários

%d blogueiros gostam disto: