YouTube

Atualmente, muito se fala sobre novas profissões e como elas surgiram. Há alguns anos atrás, poucas pessoas imaginariam que fazer vídeos na internet se tornaria uma das profissões mais almejadas e que ainda pudesse render um bom dinheiro. Para muitos, ela é vista como o equilíbrio perfeito entre uma carreira mais flexível, onde faz-se o que gosta, e uma boa remuneração. Quer saber como a nova profissão mais cobiçada do momento começou? Então confere esse post!

O YouTube é uma plataforma de compartilhamento de  vídeos pertencente ao Google, criada em 2005. De lá para cá, seu serviço foi sendo aprimorado e, além de oferecer uma variedade interminável de conteúdos, o YouTube se tornou um dos meios de maior alcance global em termos de publicidade e mídias pagas.

Com o passar dos tempos, as pessoas mais visionárias foram enxergando valor e entendendo como ganhar dinheiro neste novo espaço. Para quem não sabe como funciona a monetização do YouTube, basicamente o sistema monitora todos os indicadores de conta por meio de “medidor”. Ali ficam registrados os números de visualizações, novos seguidores, quanto tempo as pessoas passaram assistindo cada vídeo e até mesmo de onde as pessoas vieram, isto é, como ela encontrou seu vídeo, por um  link enviado, por meio de uma pesquisa e por aí vai. Impressionante, não é mesmo?

A partir desses dados, existe uma série de requisitos até que a plataforma comece a monetizar o dono do canal: ter no mínimo 1000 inscritos e 4 mil horas de visualizações com o seu conteúdo postado. Além disso, ao atingir 1000 inscritos, a plataforma disponibiliza outros benefícios como: comunidades em sua página, o “super chat” (uma espécie de doação dos seguidores para o dono do canal), a criação de um clube por meio de uma assinatura para seus espectadores e até mesmo anúncios pagos no canal. 

Tudo isso parece muito bom, parece muito ótimo, mas como isso funciona na prática para o criador de conteúdo? É só sentar na frente da câmera, falar e postar? Devo dizer que para alguns tipos de formato sim, mas outros necessitam estudo, preparação, roteiro, edição, um estúdio mais elaborado, e,  ainda, uma revisão minuciosa  para não sair com absolutamente nenhum errinho! 

E aí, gostou das dicas?  Então aventure-se nessa nova forma de empreender.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: