Curitiba inaugura, no dia 20 de julho, espaço voltado ao tratamento de pessoas com TEA (transtorno do espectro do Autismo) e neurodiversas

“Sou mãe de Davi, um garoto autista de 11 anos. Sempre fui muito atenta às novidades em tratamentos para o desenvolvimento comportamental do meu filho. À medida em que ele vai se tornando adolescente, me vejo cada vez mais inquieta e cheia de indagações: como ele vai lidar com a afetividade e a sexualidade? E suas relações no ambiente escolar e social? E quanto à sua vocação para o mercado de trabalho? Foi nessa busca incansável, de muita pesquisa e envolvimento com a causa, que eu descobri um caminho inédito (os currículos Peak, Peers e A.I.M) e investi nesses novos conceitos para aplicar no meu filho. Os resultados, em menos de dois anos, foram surpreendentes quanto à linguagem, raciocínio, compreensão e flexibilidade, principalmente para entender uma mudança radical na rotina, devido à pandemia. Eu e minhas sócias Daniela de Mendonça, responsável pelo treinamento e supervisão da equipe, e Marcela Ávila, coordenadora dos assistentes terapêuticos, estamos proporcionando o que há de mais sólido e inovador dentro da ciência ABA (Análise do Comportamento Aplicada)”. O depoimento é da administradora de empresas Micheli Pires, que se inspirou na própria história para criar a Emergir- Intervenção Comportamental, que começa a funcionar em Curitiba no dia 20 de julho.

Aflorar, abrir a janela para o conhecimento e deixar a luz entrar é o alicerce da clínica Emergir, cujo diferencial é o de atender as pessoas com TEA (Transtorno no Espectro Autista) e outras patologias neurodiversas (TDAH, ansiedade, depressão, entre outras) a partir da idade 7+ até a idade adulta. “Existe um vácuo muito grande quando a criança passa da fase infantil para a pré-adolescência. É quando surgem inúmeras dificuldades que precisam ser tratadas para que ela não se isole ainda mais”, relata Micheli.

A Emergir conta com uma equipe de psicólogas treinadas e capacitadas para aplicar as metodologias Peak (Promovendo a Emergência e Avançando o Conhecimento) para a avaliação; Peers (Programa de Educação e Enriquecimento de Habilidades Relacionais) para o desenvolvimento de habilidades com o foco na inclusão; e A.I.M (Aceitar, Identificar, Mover) que trabalha a terapia da aceitação (aceitar que em algumas situações posso mudar e em outras não). Todos esses programas têm base científica e evidências comprovadas.

“Nosso objetivo é fazer com que o autista da pré-adolescência em diante – dentro de suas limitações, necessidades e características individuais – possa desenvolver o seu repertório comportamental, como a linguagem, compreensão, autonomia, segurança, independência, atenção, memória, flexibilidade, raciocínio, aptidões e habilidades sociais, emocionais e funcionais. Para tanto, utilizamos práticas de Mindfulness (concentração no momento presente), recursos de encenações, regras de comportamento social, com demonstrações apropriadas e inadequadas, tudo para que ele aprenda a ter uma vida produtiva e integrada à sociedade, em todos os seus contextos”, explica a psicóloga Daniela Mendonça, sócia da Emergir.

Conquistar o primeiro emprego e desafiar o competitivo mercado de trabalho na vida adulta é outro importante objetivo a ser alcançado pelas pessoas com TEA. Um exemplo vem do Bruno Baldin, 29 anos, estudante de Design Gráfico na UFPR, diagnosticado com autismo e criador do logotipo da Emergir. Com traços simples e forte, Bruno desenhou uma pessoa, de costas, abrindo uma janela, emergindo para o mundo lá fora.

Espaço e localização privilegiados

Projetada pelo escritório Larissa Gomes Design de Interiores, a Emergir foi estruturada para ser um ambiente alegre e motivador. Conta com cinco salas de atendimento, cozinha gourmet e um espaço multicolorido de Interatividade, onde os adolescentes podem se relacionar com os colegas, jogar, socializar, e praticar outras atividades em conjunto.

O endereço escolhido para sediar suas instalações também foi estrategicamente pensado, tendo nos arredores muitas lojas, academias, cafés, supermercados, padarias e farmácias, a fim de que os adolescentes aprendam a se locomover com segurança, saibam como atravessar ruas, pegar um ônibus, fazer compras, ou seja, para que eles possam sair para o mundo e ver a vida como ela é no dia-a-dia.

“A Emergir é uma proposta idealizada com amor de mãe. Um espaço que acolhe, onde os adolescentes queiram estar, progredir e se transformar. Queremos mostrar a eles as suas potencialidades e o que precisam aprender para viverem em sociedade, com oportunidades e qualidade de vida”, resume Micheli Pires.

Os atendimentos na Emergir são individuais com a aplicação dos currículos PEAK e AIM e coletivos na perspectiva do programa Peers® para habilidades sociais. De acordo com equipe, o ideal é frequentar a clínica pelo menos 2 horas por dia, 5 vezes na semana.

O espaço funciona de segunda à sexta-feira, das 8h às 18h. Além do atendimento presencial, a Emergir também oferece sessões online para o público de outros Estados.

Serviço

Emergir- Intervenção Comportamental

Avenida Padre Anchieta, 2285- Sala 105- Bigorrilho- Curitiba

Telefone: (41)99912-5244

Instagram: @emergir.ic

Facebook: https://www.facebook.com/emergirinstituto

Linkedin: https://www.linkedin.com/company/emergiric/

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: