Paraná é destaque no registro de marcas e patentes na área de TI

Foto: Pixabay

Não é tão simples ser dono de uma grande ideia ou de um invento incrível, mas quando eles acontecem e têm real utilidade, devem ser registrados com toda a formalidade e organização que o projeto merece. Acontece que nem todo mundo sabe por onde começar.

Pensando em apresentar uma espécie de roteiro para registros, a Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação (Assespro-PR) promove – em parceria com o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), que no Brasil é o órgão responsável pela análise de pedidos de registro de marcas e patentes – um Ciclo de Palestras que tem justamente o assunto como tema. A primeira explanação terá duração de, aproximadamente, 1h30 e acontecerá no dia 13 de setembro, às 19 horas. O ciclo inteiro será on-line, gratuito, veiculado pelas redes sociais da Assespro-PR.

“Nossa primeira palestra vai tratar desse começo, desse início tão necessário para ajudar quem tem essas boas ideias e, às vezes, não sabe por onde começar. O que a gente espera que é esse nosso Paraná, um celeiro de iniciativas, encontre no evento a oportunidade de aprender mais e que contribua conosco também”, diz o presidente da entidade, Lucas Ribeiro.

Números

Segundo o INPI, em janeiro de 2020, os pedidos de depósito de patentes alcançaram 2.238; já os pedidos de registro de marcas alcançaram 17.815 em janeiro de 2020, o que representa expansão de 0,4% em relação a dezembro de 2019 e de 15,4% sobre janeiro de 2019.

Na área de tecnologia, o Paraná é destaque, especialmente por conta da participação e apoio das universidades. Conforme relatório de setembro de 2020, por exemplo, as universidades estaduais de Londrina, de Maringá e do Oeste do Paraná apareceram entre as 50 instituições brasileiras que mais registraram patentes. Elas somaram 40 pedidos de registro de invenções, produtos, processos de fabricação ou aperfeiçoamentos. Uma dessas ideias, a “máscara 3D para proteção individual da Covid-19”, conquistou a medalha de ouro na premiação internacional da ISIF 20, a Istanbul International Inventions Fair, evento de destaque na área de inovação.

O Insight Report de Março de 2020, feito pela Assespro-PR com dados sobre registro e depósito de patentes de software embarcado no Brasil, confirma o bom momento do estado. O Paraná se apresentou na ocasião como 5º colocado entre as unidades da Federação e Distrito Federal, com 51 depósitos entre 2015 e 2016. A Associação Paranaense de Cultura (APC) fez três depósitos, assim como a Universidade Federal do Paraná (UFPR). A UTFPR apresentou dois, figurando também entre as instituições paraenses que mais pediram depósito de patente. A Classificação Internacional de Patentes (IPC) revela a predominância da área de Sistemas ou Métodos de Processamento de Dados, com 12% dos pedidos, seguido pela área de Processamento Eletrônico de Dados Digitais (11%) e de Redes de Comunicação Sem Fio (10%). 

Conteúdo do Primeiro Encontro

“Introdução à Propriedade Intelectual e seu Uso Estratégico” é o tema do primeiro encontro marcado para dia 13 de setembro. Ele será ministrado por Douglas Santos, Examinador de Patentes do INPI. Entre os assuntos discutidos, serão abordados pontos como: o que é propriedade intelectual; a legislação em vigor; por que propriedade intelectual; o que é propriedade intelectual e poder econômico; o INPI e presença nacional e o trâmite prioritário. Outros temas já estão desenhados para as próximas palestras. São eles: Não perca sua marca; Conceitos de Patentes; Pedidos de Patente Envolvendo Invenções Implementadas em Computador (IIC), e Como registrar seu software, compõe o ciclo.

Serviço

Para saber mais sobre o Ciclo de Palestras, acesse https://www.assespropr.org.br/contato/

Comentários

%d blogueiros gostam disto: