Foto: Divulgação

Começou nesta quinta-feira (16/9), no Cine Passeio, espaço da Fundação Cultural de Curitiba, uma programação virtual e gratuita de cinema indígena. Estão em cartaz quatro filmes produzidos por cineastas de diferentes povos, além de uma masterclass (aula on-line com especialista) sobre o Cinema Indígena Brasileiro.

A programação de Cinema Indígena vai até dia 22 de setembro e faz parte do 9º Seminário Nacional Cinema em Perspectiva, nesta edição voltado a filmes produzidos pelos povos originários do país. 

Os filmes da Mostra estão disponíveis no Cine Passeio Virtual.  São quatro curtas-metragens e o longa Nu~hu~ yãg mu~ yõg hãm: essa terra é nossa!. Com direção de Isael Maxakali, Sueli Maxakali, Carolina Canguçu, Roberto Romero, o filme apresenta a tradição e a história do povo yãmiyxop.

Uma das atrações é o documentário Nossa Alma Não Tem Cor, de Graciela Guarani e Alexandre Pankararu. Nele lideranças indígenas do Brasil como Ayrton Krenak, Sonia Guajajara e outros falam do atual cenário brasileiro.

Outro destaque da Mostra é ETE LONDON, sobre a viagem feita pelo diretor Takumã em Londres. Documentário bem-humorado e antropológico sobre a sociedade ocidental e suas muitas tribos escondidas sob os arranha-céus.

Tukumã, um dos diretores de As hiper mulheres (2011), vai ministrar a masterclass Processos Criativos no Cinema Indígena Brasileiro, que acontece no sábado (18/9), às 10h30, com o cineasta Takumã Kuikuro. As inscrições estão abertas.

Presencial

Ainda na temática de cinema indígena, para quem quer assistir presencialmente, está em cartaz no Cine Passeio o longa A última floresta. O premiado documentário dirigido por Luis Bolognesi, foi rodado em um dos territórios Yanomami mais isolados da Amazônia. 

Colaboração SMCS Curitiba

Comentários

%d blogueiros gostam disto: