18/10/2021 –

ESG Tech brasileira gera ativos ambientais em reservas de produtores parceiros na Amazônia Legal

As chamadas CPRs (Cédulas de Produto Rural) Verdes, anunciadas na última sexta feira pelos ministérios da Economia, do Meio Ambiente (MMA), da Agricultura (MAPA) e o Banco Central (Bacen), já são uma realidade no Grupo BMV, primeira ESG Tech brasileira e pioneira na originação e comercialização, via plataforma, de ativos ambientais.

O Grupo origina suas Unidades de Crédito de Sustentabilidade (UCSs), lastreadas nas CPRs verdes, em suas reservas junto a produtores rurais parceiros nos núcleos do Amapá, Xingu, Teles Pires, Arinos e Madeira. Ao todo, são cerca de 200 produtores parceiros, totalizando aproximadamente 778 mil hectares nos Estados do Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia e Tocantins. Comercializadas na plataforma Tesouro Verde, cada UCSs vale, hoje, cerca de R$ 175.

O lançamento da CPR Verde é um desdobramento da Lei 13.986/20 (a nova Lei do Agro), que permite as CPRs lastreadas em ativos ambientais. O mecanismo é relativamente simples: um produtor que possua uma área de preservação pode emitir uma CPR relativa à conservação dessa área. Essa CPR, por sua vez, será adquirida por um investidor que tenha interesse, por exemplo, em cumprir critérios ESG ou fazer um “net positive de carbono” (com a floresta em pé).

A CPR é um mecanismo bastante difundido entre os produtores e no mercado financeiro e reconhecido por sua segurança jurídica. Atualmente, todas as CPRs de valor superior a R$ 250 mil têm de ser, obrigatoriamente, registradas. A partir de 2024, todas elas terão de possuir registro, independentemente do valor, o que confere, ao mecanismo, ainda mais segurança.

“Esse é um mercado com um enorme potencial para o nosso País e que pode render, em divisas, até R$ 1 trilhão”, afirma a economista Maria Tereza Umbelino, fundadora e CEO do Grupo BMV. “O lançamento em conjunto por vários ministérios é um reconhecimento desse potencial”.

O Grupo BMV é a primeira ESG Tech do mundo. Ela cria as UCSs (Unidades de Crédito de Floresta) e o Selo Sustentabilidade Tesouro Verde para que as empresas possam reduzir seu impacto ambiental, adquirindo créditos em grandes volumes de forma segura e rastreável, preservando florestas inteiras. Na outra ponta, remunera produtores por manter essas áreas, gerando uma fonte de renda sem que precisem desmatar. O BMV possui o assessoramento de empresas e entidades de total credibilidade, como a SGS, a Sitawi e a Unesp.

Website: http://www.brasilmataviva.com.br/

Comentários

%d blogueiros gostam disto: