Polícia apura denúncias de agressões físicas, violência psicológica, negligência e maus-tratos contra idosos no Paraná

Foto: Fábio Dias / EPR

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) apurou 907 denúncias de crimes de violência contra idosos durante as ações da segunda edição da Operação Vetus, que teve início no dia 15 de outubro deste ano e teve os dados finais contabilizados nesta quinta-feira (18).  A operação, que aconteceu nos 26 estados e no Distrito Federal, é coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, e visa reprimir e prevenir a violência contra a população idosa.

No Paraná, as denúncias apuradas envolvem agressões físicas, violência psicológica, negligência, maus-tratos e casos em que família se apossa dos cartões bancários ou aposentadoria dos idosos. 

Durante as diligências, foram localizados diversos casos graves, em que os idosos estavam em situação de abandono total, enfermos, acamados, em estado de confusão mental, ou ainda, casos de insegurança alimentar. Após as ações, a PCPR tomou todas as providências de acionamento de ajuda e proteção, encaminhando as vítimas para o atendimento social necessário.

Durante a operação Vetus, quando há a necessidade de assistência alimentar, a PCPR também prestou auxílio. Ao todo, foram entregues mais de 500 quilos de alimentos.

Na edição anterior da Vetus, em 2020, a PCPR apurou 316 denúncias no Estado. Por tanto, de um ano para o outro houve um aumento de 591 idosos atendidos. A estimativa é que o número de apuração seja ainda maior, já que no Paraná, a Operação Vetus II, deve seguir até a finalização da apuração das denúncias.

A ação da PCPR não se restringe a apurar as denúncias de violência contra idosos. Estão sendo coletados dados para análise segura das vulnerabilidades que atingem idosos, familiares e cuidadores.

As informações coletadas serão analisadas pelo Núcleo de Direitos Humanos e Proteção a Vulneráveis da PCPR para apresentar propostas que ajudem a solucionar essas vulnerabilidades. A instituição busca monitorar todo o trajeto desde quando o cidadão em situação de vulnerabilidade acionou o pedido de ajuda, até a efetiva solução da demanda.

Colaboração PCPR

Comentários

%d blogueiros gostam disto: