ESCUTA ATIVA: Quando é melhor ser interessado do que ser interessante

Por Paulo Dalla Stella

Outubro de 1936 foi a data de lançamento da primeira publicação do clássico dos clássicos de autoajuda “Como fazer amigos e influenciar pessoas” de Dale Carnegie, e é dele a famosíssima frase que ressoa até os dias de hoje também já considerada grande clássico no que diz respeito a interações humanas, marketing pessoal, desenvolvimento de carisma, etc. “Acredito que você possa conquistar mais amigos em 2 meses interessando-se por outras pessoas do que em dois anos se quiser fazer com que outras pessoas se interessem por você”. De fato, está contida nesta frase que já tem 85 anos toda a essência de como vender bem sua imagem, como conquistar e persuadir pessoas, como ser alguém carismático e usar seu poder de atração e magnetismo pessoal e com certeza, juntar isso tudo em sendo alguém cool.

Uma imagem pessoal positiva tem muito mais a ver com o modo como as pessoas te veem, como terão suas vidas enriquecidas pelo contato contigo e como você agregará valor à vida delas do que propriamente as qualidades que podem, a um primeiro momento, parecerem positivas para você mesmo. Em resumo, sua imagem COOL, será julgada por outras pessoas e seu valor pessoal, embora seja seu, será percebido pelo mundo externo que o cerca. São os outros, que ao terem seus egos acariciados pela sua pessoa ou seu próprio valor pessoal aumentado diante de sua atenção e valorização dados a elas, que farão com que você seja percebido como uma pessoa carismática. Pode parecer frio e exagerado, mas de uma forma geral é assim mesmo que funciona. Você é bem visto pelo que faz e traz para a vida de outras pessoas, pela atenção que as dá e pelo carinho e calor humano que juntamente com seu poder pessoal formarão a imagem carismática que você precisa ter para seu sucesso na vida pessoal e profissional.

A forma mais direta de parecer alguém que se preocupa com o próximo, que acrescenta valor à vida alheira e que se presta a ajudar alguém, é justamente ouvindo-a com atenção. O ouvir de maneira ativa e elegante fará milagres nas suas relações pessoais pois é através disso que você demonstra o quão bom comunicador e o quão “gente” você é. Estar presente para a pessoa com quem se comunica parece fácil mas nem sempre conseguimos estar 100% ali durante uma conversa, pois ora nos preocupamos com nossa vez de falar e soltar nossas pérolas, ora estamos a pensar sobre algo relativo à nossa própria vida, como um compromisso qualquer ou uma conta a pagar o que fica claro para a pessoa com quem nos comunicamos que nos percebe como alguém desligado e portanto sem carisma. Sentimos valorizados quando somos ouvidos com atenção e se quisermos chamar a atenção de alguém, devemos antes de tudo saber ouvi-la, para que depois, atraída por sua gentileza, essa pessoa possa lhe dar aquilo que almeja durante um processo de venda ou mesmo em forma de favor pessoal.

Em estudos mais elaborados sobre atenção, foi descoberto que um ser humano percebe mudanças de humor em outra pessoa através de suas micro expressões faciais em cerca de apenas 17 mili segundos, ou seja, se por alguma razão, no meio de uma conversa você lembra que está atrasado para pagar um boleto que vence hoje, sua expressão facial de preocupação mudará imperceptivelmente para você, mas ficará obvia para a pessoa com a qual você está conversando. Isso atrapalhará seu processo de comunicação e com certeza arruinará sua imagem de pessoa carismática. Esteja, portanto, PRESENTE 100% para quem você está a se comunicar. Faça como famosas celebridades carismáticas que tinham o poder de fazer a pessoa com quem estavam a trocar ideias, a pessoa mais importante do mundo. Faça como Bill Clinton, famoso por sua atenção dada a jornalistas e fans em geral ou como Benjamim Disraeli ex-primeiro ministro britânico também conhecido por fazer o ouvinte ou acompanhante se sentir como se fosse a pessoa mais importante do mundo.

Para demonstrar que estás ali presente na conversa e ouvindo com atenção, é importante dar alguns sinais, tais como: balançar a cabeça positivamente, olhar nos olhos pelo menos 80% do tempo e parafrasear o que acabou de ser dito, provando assim que você tinha sua atenção inteiramente focada em ouvir a outra pessoa e assim, por meio de a fazer sentir-se importante, garantir que sua imagem pessoal foi devidamente apreciada e que conseguistes manter sua fama de bom comunicador que é. Você com certeza conseguirá muito mais em questão de conseguir imagem pessoal positiva sendo você mesmo, mas dando atenção à outras pessoas do que tentando ser algo que não é e esperando que alguém assim o considere “o cara”. Você será interessante como pessoa se as pessoas se interessarem por você então, primeiramente, seja interessado nelas.

Divulgação: Shutterstock

Comentários

%d blogueiros gostam disto: